Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Minha resenha sobre "A tinta da melancolia", de Jean Starobinski

Na minha colaboração com o blog do Gustavo Nogy, no site do jornal Gazeta do Povo, escrevo sobre "A tinta da melancolia", de Jean Starobinski. Para ler este e minhas outras críticas por lá, você pode assinar e acessar todo o site ou apenas se cadastrar com direito de acesso a até 5 textos gratuitos:  http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/gustavo-nogy/2018/04/18/bom-dia-tristeza/
Mensagens recentes

Respondi a meia dúzia de perguntas do Gustavo Nogy

Crítica sobre "O sol na cabeça", de Geovani Martins

Escrevi no blog do Gustavo Nogy, no site do jornal Gazeta do Povo, uma crítica sobre o fenômeno literário do momento: http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/gustavo-nogy/2018/04/11/muito-sol-na-cabeca-faz-mal/?doing_wp_cron=1523459200.3292529582977294921875

Minha crítica sobre "Os irmãos Tanner", de Robert Walser

Minha crítica sobre "Os irmãos Tanner", de Robert Walser (Companhia das Letras), no blog do Gustavo Nogy no site do jornal Gazeta do Povo de Curitiba: http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/gustavo-nogy/2018/04/07/o-admiravel-escritor-das-neves/

Resenha sobre "Contra um mundo melhor", de Luiz Felipe Pondé

Em mais uma colaboração com o blog do Gustavo Nogy, escrevo sobre "Contra um mundo melhor", do Luiz Felipe Pondé (Editora Contexto): 
http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/gustavo-nogy/2018/03/29/ensaios-bem-ponderados/

"Jeremias falou", conto inédito

Foi publicado um conto meu inédito (o último texto de ficção que escrevi) no jornal Fuxico, do Departamento de Educação da Universidade Estadual de Feira de Santana, da Bahia. Infelizmente houve uns problemas na edição que o deixaram incompreensível, por isso segue abaixo o conto original para quem quiser ler.
Jeremias falou por Cassionei Niches Petry

Jeremy spoke in class today Eddie Vedder

Jeremias falou com o pai sobre o que vinha sofrendo no colégio. Como resposta, ouviu: “filho meu não traz desaforo pra casa. Se apanhar na rua, apanha em casa também. Responde à altura, ora.”
Ele não tinha, porém, a mesma força que os outros. Mas isso ele não falou para o pai. Não era de briga, era calmo, só queria ficar no seu canto, lendo ou ouvindo no “walkman” sua banda favorita, que narrava as angústias que ele sentia. Pensava em compor suas próprias canções e os temas seriam a incomunicabilidade com os pais, a solidão como escolha de vida, seu mundo pessoal.
Jeremias falou para o pai que queri…

"Esquerda ou direita: é preciso escolher?", meu artigo no jornal Gazeta do Sul de ontem

Esquerda ou direita: é preciso escolher?
Já fui ligado à política na juventude. Influenciado pelo movimento Hip Hop, eu era de esquerda, preocupado com questões sociais. Era petista, daqueles que usavam estrelinha no peito. Entrando na universidade, minha ideologia foi fortalecida, afinal os professores que não eram indiferentes à política faziam questão de demonstrar seus ideais esquerdistas, a admiração pelo socialismo, o ódio à direita. Na aula de didática, no lugar de práticas de ensino, aprendi a criticar a visão neoliberal e capitalista que acabava com a educação. Fui muito bem doutrinado. Emocionei-me com o Lula eleito.
Algo, porém, me inquietava. Não conseguia aceitar a visão coletivista do esquerdismo. Os que criticavam a condição do povo como massa de manobra do capital se tornavam uma massa obediente aos ditames socialistas. Minha individualidade estava ameaçada. Porém, conheci livros e sites da internet que reconheciam a importância do indivíduo. As letras do Neil Peart, bat…